sábado, 20 de julho de 2013

Tempos de Colegial Cap. 77

Marcos: - Acho que não. Ele deve estar querendo assustar vocês. Além disso, você já tem dezessete anos, a idade mínima para o menor optar por viver com um dos pais é de doze anos. A justiça vai analisar o caso, o juiz vai te ouvir na própria audiência, onde se discute a guarda. Não fique preocupada, a opinião do menor é de extrema relevância.
Eu: - Não é patético, que meu pai queira pedir a minha guarda, se já tenho dezessete anos?
Marcos: - E como sua mãe está reagindo a isso? Ela já sabe que você sabe do caso?
Eu: - Se sabe, ela não comenta. Ela não quer me deixar preocupada. Passa lá em casa hoje à noite. Quem sabe ela não se anima?
Marcos: - Você está me convidando para ir à sua casa?! Está tudo bem com você?
Eu: - Nossa que engraçado!! Tô falando sério! Eu não disse que não ia mais me importar de você namorar minha mãe?
Marcos: - Disse, e eu acredito, mas hoje eu não posso.
Eu: - Por quê?
Marcos: - Tenho um compromisso de trabalho e não posso faltar.
Eu: - Que tipo de compromisso?
Marcos: - Do tipo: não posso falar pra você.
Eu: - É confidencial?
Marcos: - Não, é pessoal. E se der tudo certo a minha vida vai mudar.
Eu: - Você está traindo a minha mãe? Se você estiver traindo a minha mãe!...
Marcos: - Emi, vai para casa, e pare de imaginar coisas.
Eu: - Então tchau.
Marcos: - Tchau.
Fui para casa, mas o que Marcos falou havia me deixado com uma pulga atrás da orelha. E se ele estiver traindo a minha mãe? - eu pensei. Então me ocorreu uma ideia não tão mirabolante, mas era a melhor que eu tinha.
Kássio: - Você vai seguir o Marcos? Ficou louca?
Eu: - Não, eu não fiquei louca, e sim, eu vou seguir o Marcos. Eu tenho que fazer isso. Não posso permitir que ele enfeite a cabeça da minha mãe!
Kássio: - Mais uma vez você está tirando conclusões precipitadas.
Eu: - Não estou, meu amor. Quando o convidei para ir à minha casa ele disse que não podia. Disse que tinha um compromisso de trabalho, depois disse que era pessoal. E disse ainda que se tudo der certo a vida dele vai mudar. Você não acha isso estranho?
Kássio: - Estranho é, mas não significa que ele esteja traindo a sua mãe.
Eu: - Kássio, meu amor, você é muito ingênuo. Como você não percebe que é verdade o que eu estou dizendo?
Kássio: - Emi, meu amor, você está imaginando coisas!
Eu: - Por que todo mundo diz que eu imagino coisas?
Kássio: - O cara caiu em contradição e você já saiu imaginando coisas. E se ele tivesse falando de alguma coisa que envolva a sua mãe, mas que não seja colocar chifres na cabeça dela?
Eu: - Pode ser! Você sempre consegue clarear as minhas ideias. Como você faz isso?
Kássio: - É fácil, eu conheço você melhor do que ninguém.
Eu: - E eu te amo por isso.
Kássio: - Também te amo. Não conseguiria viver longe de você.
Eu: - E você não vai ficar longe de mim, porque o meu pai não pode me tirar daqui se eu não quiser. O Marcos me disse isso. Não foi exatamente assim, mas ele me disse. Não se preocupe porque se ele me levar eu fujo e ele nunca mais vai me ver. Só você.
Kássio: - Não Emi, não quero que você fuja. Lembra da última vez que você fugiu?
Eu: - Tem razão. Então o que eu faço?

CONTINUA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário.
Por favor, não use palavras de baixo calão, caso contrário seu comentário será excluído. Ok?

Euzi Pink

Marcadores

Quem sou eu

Minha foto

Posso não ser a mais forte ou a mais inteligente nem a mais bonita e nem a mais legal ...
Mas sou forte o suficiente para lutar.
Inteligente o bastante para aprender .
Legal a altura de não ser chata.
E bonita ao ponto de não ser feia!