quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Estranhos Conhecidos Cap. 06

Alguns dias depois Daniel já havia se instalado completamente na casa da piscina. Porém tio Lucas foi inflexível quanto a deixar a sobrinha a sós com um desconhecido. Infelizmente para Mila dona Maura era uma senhora cheia de regras e bastante rígida. Mas isso não impedia a garota de se divertir com os amigos. Ela e a turma foram convidadas para uma festa. Como o tio estaria de plantão no mesmo dia em que aconteceria a festa, dona Maura ficou fazendo companhia aos dois. Aproveitando que dona Maura cochilou no sofá, Mila chamou Daniel para a cozinha e o convidou para a festa.

Ela tirou o roupão em que estava vestida, e para a surpresa dele, já estava pronta. Mila usava um vestido cor-de-rosa, justo nos lugares certos, em um tecido muito delicado.
— Agora entendi o motivo da maquiagem!

— Vamos?

— E se a dona Maura acordar?

— Como tio Lu pediu para ela cuidar de mim, já resolvi a minha parte. Coloquei vários travesseiros embaixo do lençol, e uma peruca, parecida com o meu cabelo, em cima do travesseiro. Ela não vai desconfiar. Quanto a você, ela nem vai notar porque nunca vai à casa da piscina. Vamos, vai ser divertido.

— E se o seu tio chegar?

— “E se” nada! Meu tio não vem para casa hoje. Vamos, se não eu vou achar que você realmente é um chato.

— OK!

— Vai se arrumar que eu te espero lá na rua. Não vamos pegar o carro para não fazer barulho. A dona Maura tem o sono mais leve que uma pluma. Shhh!

— Só uma coisa... — sussurrou ele.

— O quê?

— Eu não tenho convite.

— Ah Daniel, você complica tudo! Eu tenho convite, posso levar quem eu quiser.

— Então te encontro lá fora.

— Seja breve!

Enquanto esperava por ele, Mila chamou um táxi. Para surpresa dela Daniel já estava chegando. Daniel usava uma camisa azul bebê por baixo de um terno preto e sem gravata.

— Quero dizer uma coisa que eu não tive chance de dizer lá dentro.

— O que é? A dona Maura acordou?

— Não é nada disso. O que eu não disse é...

— O quê? Eu estou assanhada, minha maquiagem está borrada?

— Não, você está linda. Era isso que eu queria dizer, você está muito linda mesmo.

— Oh, obrigada! Você também está muito bonito. As outras garotas vão morrer de inveja quando me virem chegar com você. — disse ela com o rosto esquentando enquanto corava.

— Então vamos, não podemos adiar a morte delas.

Mila não conseguiu segurar o riso, entretanto teve que contê-lo imediatamente ao ver, pela janela, que dona Maura havia acordado. Temendo ser vista pela senhora, os dois correram até a esquina para esperar o táxi.

— Isso é tão emocionante! Nunca fugi de casa antes. Tomara que a dona Maura não perceba que não estou na minha cama.

— A gente não precisava ter fugido.

— Tá brincando? Meu tio jamais me deixaria ir a essa festa. Não com você!

— Por que não comigo? — indagou curioso quanto ao que ouvira. Por que tio Lucas não deixaria Mila sair comigo?, perguntou ele em sua mente.

— No que você está pensando? — perguntou Mila ao perceber que o pensamento dele estava distante.

— Nada demais. O táxi está demorando, não está? Por que não vamos de moto? Posso empurrá-la até aqui.

— Eu sei que está demorando, mas não podemos ir de moto. Vai bagunçar todo o meu cabelo e não quero chegar assanhada. Tomara que não cheguemos atrasados, pois detesto me atrasar.

— Nesse caso até que é bom chegarmos atrasados.

— Por quê?

— Porque quando nós chegarmos todos os caras irão ver que estou acompanhado da menina mais linda que eles já viram.

— Puxa muito obrigada! — disse ela sentindo uma quentura no rosto.

— O táxi está vindo. —  os dois correram de volta para a frente de casa, tamando cuidado para não serem vistos por dona Maura.

— Finalmente!

Quando finalmente chegaram aconteceu o que imaginaram. Todos os garotos e garotas que estavam presentes pararam e viraram para olhar para os dois.

Depois de toda a agitação da chegada, finalmente puderam aproveitar a festa.

— Mila, você quer dançar?

— Quero sim. — respondeu Mila, o rosto brilhando de alegria.

Enquanto dançava ela não sabia o que estava por vir. Gisele passava por perto, “tropeçou” e derramou bebida na roupa de Mila, que ficou desnorteada.

— Oh me desculpe, Mila. Eu tropecei e acabei derramando bebida em você. Que desastrada! — disse Gisele em tom irônico.

— Está tudo bem, eu sei que você não teve a intenção. — disse Mila respondendo à ironia de Gisele.

— É melhor você limpar isso, pois pode manchar aí vou me sentir mais culpada.

— Vou ao banheiro rapidinho e já volto, guarda a minha dança. — disse ela voltando-se para Daniel.

Mila encontrou com Jéssica no banheiro e a amiga não pode deixar de notar o quanto a garota estava irritada com a situação.

— O que aconteceu amiga? Que cara é essa? — perguntou ela, observando Mila com o rosto retorcido de raiva.

— A idiota da Gisele derramou bebida no meu vestido. — disse ela com os olhos brilhando de raiva. — Ai que ódio daquela nojenta!

— Fica calma amiga. Você não pode deixar que ela consiga te atingir e muito menos que ela perceba que conseguiu. — disse Jéssica tentando acalmá-la.

— Eu não consigo. Sinto como se eu fosse explodir de tanta raiva. — disse Mila esforçando-se para acalmar a voz. — A minha vontade é de arrancar os cabelos dela.

— O que você tem que fazer é manter a calma, limpar esse vestido maravilhoso e aproveitar a festa, que está ótima. — disse Jéssica num tom de voz intenso. — E não deixe ninguém te ver assim, a raiva é uma coisa muito feia e você tem que continuar linda e maravilhosa para dançar com aquele príncipe encantado que veio com você.

— Tem razão, tem toda razão. Eu não vou deixar aquela estúpida estragar o resto da minha noite com o Daniel. — disse ela tomando fôlego para se acalmar.

— É assim que se faz, vai lá e dança com ele até cansar.

Mila conseguiu limpar o vestido, saiu do banheiro, entusiasmada para continuar a disfrutar a festa. Entretanto quando foi avistada por Gisele, esta tascou um beijo em Daniel deixando Mila completamente arrasada. Ela saiu correndo em direção à saída tentando chamar o mínimo de atenção possível para si mesma. Porém Daniel a viu sair e tentou ir atrás dela, mas foi impedido por Gisele.

— Ei, onde você pensa que vai? — perguntou ela pondo as mãos dele na cintura dela e puxando seu corpo para o dela. — Você não vai me deixar dançando sozinha, vai?

— Não. — sussurrou Daniel em resposta.

Enquanto Gisele e Daniel continuavam a dançar, Mila chegava numa esquina perto de casa para chegar despercebida. Para sua sorte dona Maura tinha voltado a dormir. Mas ela não queria correr o risco de ser pega em flagrante então subiu a janela de seu quarto e entrou. Ela deitou em sua cama, apertou o rosto contra travesseiro e chorou profusamente.

Assim que teve chance Daniel foi para casa o mais rápido possível. Ao chegar avistou dona Maura, que parecia estar dormindo profundamente. Ele abriu a porta lentamente, grato pelas dobradiças estarem bem lubrificadas. Deslizou pela sala em direção á escada, com suas costas para a parede. Isso não ajudou, pois dona Maura acordou e ficou assustada ao ver o garoto subindo as escadas.

— O que você está fazendo aqui? — perguntou dona Maura numa voz assustada.

— Eu ouvi um barulho e, vim ver se está tudo bem. — respondeu Daniel, olhando para a mulher assustada com certa ansiedade.

— E então? — perguntou ela.

— Nada, eu não encontrei nada aqui embaixo então ia subir para verificar andar de cima. Espero que a Mila não tenha acordado com todo o barulho que acabei fazendo.

— Não se preocupe eu vejo se está tudo bem lá em cima. — disse ela já subindo as escadas e indo em direção ao quarto de Mila.

Dona Maura vasculhou todo o anda de cima e não encontrou nada estranho. Foi até o quarto de Mila, bateu na porta e chamou, mas a garota não respondeu. Deve estar dormindo, não vou incomoda-la, disse ela em sua mente. Dona Maura estava cansada então resolveu ir para casa.

— Escute rapazinho, eu vou para minha casa já estou morta de sono. Amanhã cedo venho ver como a menina amanheceu. Vá para casa você também que já está muito tarde.

— Eu acompanho a senhora até em casa.

— Oh muito obrigada, você é muito gentil.

— Disponha.

Daniel acompanhou dona Maura até em casa para se certificar de que ela não voltaria para atrapalhar sua conversa com Mila. Assim que ela entrou ele correu para a casa da piscina, deu a volta por trás da casa principal e subiu na janela e entrou no quarto de Mila.

Mila se virou assustada, seus olhos encontraram o rosto de Daniel.

— O que você está fazendo aqui? — perguntou ela com uma rispidez em sua voz.

— Eu vim explicar o que houve na...

— Não precisa me explicar nada! — disse Mila interrompendo-o de falar. — Sai do meu quarto.

— Mila, eu não tive culpa. Ela me pegou de surpresa. — disse ele.

— Eu já disse que você não tem que me explicar nada. — disse ela rispidamente e em voz alta. — Sai do meu quarto, por favor. — sua voz era apenas um sussurro quando acabou de falar.

— Se você me der uma chance eu posso te explicar tudo. Ela me beijou, mas eu não a correspondi porque ela não é a garota que eu gosto. Ela não é a garota que vive no meu coração e nem nos meus pensamentos. Essa garota é você. Eu sei que nos conhecemos há pouco tempo, mas foi tempo suficiente pra me apaixonar por você. Eu não disse nada porque tinha medo que você não se sentisse do mesmo jeito que eu. Eu tinha medo que você pensasse em mim como amigo e não como um homem. Um homem que te ama desde o primeiro momento em que te viu. É a primeira vez que ficamos realmente sós desde o dia em que nos conhecemos, e eu nunca tive uma chance de te falar como eu me sinto em relação a você.

— Você fala demais! E ainda bem porque eu não teria coragem de te dizer essas coisas. E não é que eu não goste de você, acontece que eu não consigo parece que fica entalado na minha garganta, mas quando eu vi você e a Gisele se beijando aquilo foi demais pra mim. Eu não consegui aguentar, não pude me conter. A verdade é que eu nunca me senti assim antes. Minha pele arde onde você me toca. A simples pressão de sua palma na minha me faz estremecer ao prazer de mero toque. Eu te amo, e não quero que você beije a Gisele e nenhuma outra garota além de mim.

— Eu não quero nenhuma outra garota, só você. O meu pulso dispara em minhas veias quanto estou com você, somente com você. E é por isso que eu quero te fazer uma pergunta.

— Que pergunta?

— Mila, você quer ser minha namorada? — perguntou ele sentindo uma quentura no rosto.

— Quero, é claro que eu quero. — respondeu ela com o rosto brilhando de completa alegria.

Continua>>>

Finalmente Daniel e Mila estão juntos, já estava na hora. Será que vão continuar assim? Não perca o próximo capítulo!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário.
Por favor, não use palavras de baixo calão, caso contrário seu comentário será excluído. Ok?

Euzi Pink

Marcadores

Quem sou eu

Minha foto

Posso não ser a mais forte ou a mais inteligente nem a mais bonita e nem a mais legal ...
Mas sou forte o suficiente para lutar.
Inteligente o bastante para aprender .
Legal a altura de não ser chata.
E bonita ao ponto de não ser feia!

Arquivo do blog