sábado, 11 de janeiro de 2014

Tempos de Colegial Cap. 80

Eu: - Minha nossa... está falando sério?
Kássio: - É claro que estou falando sério!
Eu: - É claro que está. Você não brincaria com uma coisa desse tipo. Ou brincaria? Kássio se você estiver brincando comigo eu juro que você vai se arrepender.
Kássio: - Calma aí zangada, eu não estou brincando com você. Estou falando sério.
Eu: - É mesmo?
Ele assentiu.
Eu: - Então repete pra eu ouvir de novo.
Kássio: - Emília, eu quero passar o resto dos meus dias com você. Quero poder dormir e saber que quando eu acordar você vai estar ao meu lado. Quero poder sair de casa e ter certeza de que quando eu voltar você vai estar me esperando.
Eu: - Ai meu amor! Eu te amo... te amo... te amo. E pode ter certeza de que sempre estarei ao seu lado e sempre, sempre, sempre vou te esperar e te amar até o fim dos meus dias. E tenho certeza que você sempre será meu super-homem para me salvar quando uma barata monstruosa invadir nosso lar. Sei que vai ser forte para levantar algo que eu não possa. E quero que tenha a certeza de que nunca vou deixar de te amar.
Kássio: - Barata monstruosa?!
Eu: - Tá, eu sei isso foi uma coisa estúpida pra se dizer, mas você sempre será meu super-homem. Te amo!
Emi sentiu seu coração acelerar ao ver Kássio se ajoelhar para fazer o tão esperado pedido. Seus olhos brilhavam de alegria.
Kássio: - Emília, meu amor, minha vida, aceita se casar comigo?
Eu: - Aceito, é claro que aceito! Não há nada neste mundo que eu queira mais que me casar com você.
Ele pôs o anel no dedo dela, as mãos tremendo tanto que quase não acerta, mas não importava porque o que estavam sentindo ia além de qualquer coisa que pudesse fazer para estragar esse momento. Emi percebeu o que viria a seguir, apenas um segundo antes de os lábios dele tocarem nos dela. Pressionou sua boca contra a dela, agarrando seu pescoço mais apertado. Com uma das mãos prendendo o rosto dela enquando a outra cerrava a base de suas costas. As mãos dela agarraram o tecido da camisa dele, com as mãos esmagadas entre os dois ela podia sentir o abdome dele sob as mãos.
Emi conseguiu afastar-se dos lábios dele. Ela podia sentir as mãos dele queimando em suas costas, enquanto ele a envolvia apertando contra o peito.
Eu: - Eu sou a mulher mais feliz do mundo. Sabe por quê?
Kássio: - Por quê?
Eu: - Porque eu tenho você. Porque você me faz feliz. Porque você me faz forte, me faz ser quem eu sou. Não consigo mais viver sem você, e nem quero viver sem você. Eu te amo.
Kássio: - Eu também te amo, você é minha vida. E sem você não posso viver. Eu preciso de você. Eu te amo.
Eu: - O quê? Eu não ouvi direito. Você pode repetir?
Kássio: - Eu te amo. Posso repetir mil vezes, se assim o desejar.
Eu: - Eu estou tão feliz que poderia gritar para o mundo toda a minha felicidade. Eu quero que todo mundo saiba que eu vou me casar com o melhor homem do mundo. ME ESCUTA, MUNDOOOO...
Kássio: - Ei, você ficou louca?!
Eu: - Não, eu não fiquei louca. Eu quero gritar, extravasar, gritar aos quatro cantos que eu vou me casar com você. Quero compartilhar a minha felicidade com o mundo.
Kássio: - Não precisa fazer isso. Só precisa dividir com as pessoas que nós amamos.
Eu: - Amor, o seu pai sabe que a gente vai casar?
Kássio: - Não, e ele não precisa saber porque ele não vai ao nosso casamento.
Eu: - Mas ele é o seu pai, a sua família também precisa compartilhar esse momento conosco.
Kássio: - Não, o meu pai não precisa vir ao nosso casamento.
Eu: - Por que não? Eu não entendo porque você não quer que seu pai saiba do nosso casamento, aliás eu não entendo porque eu não conheço a sua família. Você tem vergonha de mim, é isso?
Kássio: - Não, claro que não. Emi, não é nada disso.
Eu: - Então o que é? Por que você não me conta?
Kássio: - Você não entenderia.
Eu: - Por que você não deixa essa parte comigo? Você só precisa me contar, eu juro que vou entender.
Kássio: - Por que sempre que a gente está feliz você encontra um assunto para estragar tudo?
Eu: - O quê? Do que você está falando?
Kássio: - Nada, deixa pra lá.
Eu: - Não, eu não vou deixar pra lá. Você vai me dizer agora, por que ficou grosseiro de repente?
Kássio: - Acontece que meu pai não aprova o nosso relacionamento e você fica insistindo nessa história de convidá-lo para o nosso casamento.
Eu: - E o que isso tem de mau? Ele é seu pai, aprovando ou não o nosso relacionamento. Eu não espero que ele vá, mas temos que convidá-lo. Amor, é a sua família. E você tem que fazer o que é certo e se não o fizer vai se sentir culpado.
Kássio: - Você tem razão. Eu sou um idiota, me desculpe.
Eu: - É, realmente você é um idiota, mas um idiota que eu amo.
Kássio: - Esse idiota aqui também te ama. Amore quero de dizer uma coisa...
Eu: - Que coisa?
Kássio: - Eu te disse muitas vezes que você é infantil, e que se mete nos assuntos alheios e tudo mais, mas eu nunca achei isso realmente, quero dizer eu sei que você sempre tenta ajudar os outros, da sua maneira é claro, mas eu não tinha o direito de te julgar e nem de te magoar. E um passarinho me contou que você estava tentando encontrar um jeito de me provar que você é não é infantil. Eu quero dizer que você não precisa me provar nada. Eu que estava sendo infantil e não tentei entender os teus sentimentos, acabei te julgando precipitadamente. Eu me apaixonei por você, pelo jeito espontâneo e não quero que você mude por mim. Eu que tenho de mudar para merecer o seu amor.
Eu: - Você não precisa mudar nada, talvez o mau humor, mas isso é o de menos. O que importa é que nos amamos e vamos ser felizes juntos.
Enquanto Emi e Kássio comemoravam seu noivado, o rapaz recebeu uma visita inesperada. A surpresa foi tanta que ele ficou sem fala. Quando recuperou-se conseguiu gaguejar algumas palavras.
Kássio: - Pai? O q-que... O que está fazendo aqui?
Antônio: - Eu vim conversar com você.

CONTINUA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário.
Por favor, não use palavras de baixo calão, caso contrário seu comentário será excluído. Ok?

Euzi Pink

Marcadores

Quem sou eu

Minha foto

Posso não ser a mais forte ou a mais inteligente nem a mais bonita e nem a mais legal ...
Mas sou forte o suficiente para lutar.
Inteligente o bastante para aprender .
Legal a altura de não ser chata.
E bonita ao ponto de não ser feia!

Arquivo do blog